E aí, quem “paga o pato”?

E AÍ, QUEM “PAGA O PATO”?

“Pagar o pato” é uma expressão que significa que alguém arca com as consequências dos atos de outra pessoa. Ou seja, ocorre quando uma atitude nossa afeta o outro. Gostaria de compartilhar com os amados leitores algo que Deus tem falado ao meu coração com relação ao contexto citado acima. Será que existe alguém “pagando o pato” pelas atitudes relacionadas a nossa vida espiritual? Reflitamos.

Bíblia diz o seguinte em Mateus: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33). Jesus profere tais palavras em meio ao ensinamento sobre não andarmos ansiosos em nosso dia a dia, pois a ansiedade evidencia falta de confiança e de fé que seremos agraciados caso busquemos ao Senhor em primeiro lugar. Cristo chega a usar o exemplo do lírio, que não trabalha para se vestir, no entanto, nem mesmo o rei Salomão vestiu-se com a beleza tal dos lírios. É bem verdade que devemos perseguir nossos objetivos, ficar só esperando não dá. A fé nos chama à ação. Não confundamos as coisas. Não adianta querermos triunfar em uma prova sem estudarmos. Porém, qualquer que seja nosso plano, Deus deve fazer parte dele, e devemos ter certeza de que não precisamos deixá-lO em segundo lugar para alcançar o objetivo.

Porém, o que temos visto em nossos dias é que se há a tal prova, por exemplo, é justamente o tempo de dedicação ao nosso Deus é que será “cortado”. A televisão e a internet dificilmente saem da nossa agenda para sobrar mais tempo para os estudos; já aquele tempinho de oração, de leitura da Bíblia, de participação em uma atividade da Igreja, aquele “cortamos” sem titubear. Aí fica a pergunta: “Quem pagou o pato”?

Sendo bem sinceros com nossa consciência, normalmente é isso que acontece.
Infelizmente, sem generalizar, é claro, é o que temos visto. Quando o assunto é priorizar, nem sempre temos colocado Deus como a prioridade. Não deveria ser assim, amado leitor, pois Deus deve ser o centro da nossa vida, da nossa atenção, e não Aquele a arcar com as consequências da nossa “falta de tempo” - Ou seria “Má administração do nosso tempo?”.

Como justificar não conseguirmos separar uma parte do nosso dia para busca ao Senhor? Aquele que nos criou e nos dá vida e tudo mais que necessitamos. Será que justamente Ele tem que “pagar o pato”? A Bíblia diz que “Há tempo para todo o propósito debaixo do céu (Ec 3.1). Sendo assim, haverá um tempo em que Deus nos pedirá contas sobre como conduzimos a vida que Ele nos deu. Às vezes, nos valemos de expressões como “Deus te abençoe” ou “Graças a Deus” para externar que acreditamos em Deus. Mas será que isso basta? Não! Precisamos crer em Deus, e isso significa ir além. Significa descansar n’Ele e confiar em Sua vontade. Significa aceitar e seguir a Sua Palavra, a Bíblia.

E uma das muitas coisas que a Bíblia nos ensina é que devemos ter Jesus como nosso Senhor e Salvador. O que seria tê-lO como Senhor? Não seria entregar verdadeiramente nossas vidas em Suas mãos para sermos por Ele cuidados? Mas para isso precisamos ter fé n’Ele. Precisamos descansar e confiar em Sua provisão. É tempo de deixarmos que Deus pare de “pagar o pato” pelas nossas escolhas. Um dia Ele pedirá contas de todos os nossos atos, de como usamos a vida que Ele nos deu. Não seria uma atitude sensata chamarmos a responsabilidade para nós e, a partir daí, mudarmos nossa maneira de viver se ainda não o fizemos? Vivemos em um mundo de constante correria. Mas não podemos deixar que nossos muitos afazeres nos afastem do alvo correto: Jesus! Ele não pode “pagar o pato” pelas nossas decisões em termos de vida espiritual. Precisamos ter tempo para Jesus. É como li certa vez em um adesivo: “Não ter tempo para Deus é viver perdendo tempo”.

Chegará o momento em que cada um arcará com sua responsabilidade perante nosso Pai. Aí não haverá como passar para alguém as consequências de uma decisão nossa. Não nos esqueçamos jamais: Deus é amor, é misericordioso, e nos dá a chance de mudarmos a todo instante. Basta querermos. Basta, em oração, crendo, falar a Ele que desejamos ser novas criaturas e, consequentemente, fazer e viver a Sua vontade para nós. Isso é confiar! Isso é fé! Isso é assumir a nossa responsabilidade e fazer a escolha correta.


Não deixemos Deus em segundo plano, não andemos ansiosos. Confiemos sim n’Ele, que nos ama, nos oferece de graça a vida eterna por meio de Seu Filho Jesus, e não merece “PAGAR O PATO” por nossas escolhas equivocadas, ou seja, aquelas nas quais Ele não está presente. Que o Senhor nos abençoe!

Por: Leonardo César Inácio, membro da Igreja Batista Central do Rio da Prata - Campo Grande – RJ
Jornal Batista: http://www.batistas.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário